Vamos falar sobre o bom processo de execução de obra?

256 0

Depois de passar pelo processo de elaboração da proposta, utilizar táticas e técnicas de persuasão, chega a hora de assumir a grande responsabilidade de cumprir todas as promessas que você ofertou para fechar o negócio.

Esse momento é muito importante e deve ser tratado com muita técnica e cuidado, afinal um erro aqui não significa apenas um cliente insatisfeito e sim várias portas fechadas.

Então como um atalho para o seu sucesso vamos sugerir os seguintes passos para a boa execução da obra:

A primeira dica é o Planejamento

Para iniciar uma obra com pé direito é necessário um bom planejamento.

Muitos construtores acabam iniciando uma obra sem um plano para nortear seus passos, esse é um dos maiores erros do construtor, pois uma obra precisa ter uma sequência lógica de execução, afinal não começamos a construir pelo telhado.

Uma das principais formas de se organizar e planejar, é elaborar um cronograma físico-financeiro, pois além de circular todas as metas diárias ou semanais de uma obra, também ordena o período de compras de materiais e a contratação de equipes específicas na hora certa, assim não corre o risco de contratar um pintor antes das paredes serem revestidas.

A segunda é a Competência Das Equipes De Trabalho

Uma boa obra começa com bons profissionais, então contrate sempre profissionais capacitados que trabalham de forma produtiva e autônoma, assim poderá se concentrar em outras áreas e não somente na execução dos serviços.

A terceira é Prepare-se para imprevistos

Dificilmente uma obra será 100% finalizada sem que haja nenhum empecilho imprevisto, isso vai desde a falta de água, energia e até a falta de um bom profissional, peça insubstituível para execução de certas etapas da obra.

Sempre tenha um plano B que permita manter a produtividade, mesmo que esses problemas sejam aparentes; Um exemplo disso é nos dias de chuva, ao invés de dispensar a equipe de trabalho, desenvolva tarefas que possam ser feitas internamente e se por acaso faltar um profissional, tenha sempre outro para o qual você possa ligar e substituir. 

Na falta de energia elétrica, veja a possibilidade da locação de um gerador, enfim, é justamente por isso que temos o custo indireto de contingenciamento.

A quarta, Controle e qualidade nos gastos

Uma obra bem gerida é aquela que consegue cumprir o prazo dentro do orçamento e das expectativas do cliente.

Um fator fundamental para que isso aconteça, é o cuidado com os recursos financeiros da obra, ainda mais se levarmos em conta que o pagamento geral é feito por medições.

Qualquer gasto a mais feito na hora errada pode gerar aquele desconforto, pois terá que pedir mais dinheiro para o cliente, o que afeta o seu nível de confiança para ele, por isso, evite comprar material e contratar mão de obra que não seja estritamente necessário para aquela etapa da obra.

A quinta e última dica, Ouça o seu cliente

Não é incomum que durante o processo de execução da obra o cliente queira fazer algumas modificações, não seja insensível nesse momento, deixe-o fazer suas observações e caso seja possível, faça mesmo que implique em mais custo, pois o cliente vai arcar e isso pode ser até uma maneira de rentabilizar ainda mais o seu projeto, caso essas alterações não sejam possíveis, explique de forma simples e objetiva, assim você ganha ainda mais a confiança e satisfação do seu cliente e evita um desgaste entre as partes.

Essas cinco dicas servem para você executar de maneira eficaz e eficiente a sua obra, evitando atritos, deixando o cliente satisfeito, seu dinheiro no bolso e ainda uma possível indicação futura.

Se você ficou com alguma dúvida deixe-a na seção de perguntas e respostas que eu responderei o mais breve para você. Eng. Felipe Rodrigues.

Deixe uma resposta