Relatório da ONU aponta que quase 2 milhões de pessoas morrem de causas relacionadas ao trabalho a cada ano

700 0

As doenças e lesões ocupacionais foram responsáveis ​​pela morte de 1,9 milhão de pessoas em 2016, de acordo com as primeiras estimativas conjuntas da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

É o estudo mais abrangente da OMS sobre as doenças relacionadas ao trabalho e a primeira avaliação conjunta desse tipo com a OIT.

Uma visualização das doenças relacionadas ao trabalho em nível de país, com discriminação por sexo e idade, está disponível online e pode ser acessada aqui.

De acordo os dados, a maioria das mortes relacionadas ao trabalho foram devidas a doenças respiratórias e cardiovasculares.

As doenças não transmissíveis foram responsáveis ​​por 81% das mortes.

As maiores causas de mortes foram doença pulmonar obstrutiva crônica (450.000 mortes); acidente vascular cerebral (400.000 mortes) e doença isquêmica do coração (350.000 mortes).

Lesões ocupacionais causaram 19% (360.000 mortes).

O estudo considera 19 fatores de risco ocupacionais, incluindo exposição a longas horas de trabalho e exposição no local de trabalho à poluição do ar, carcinógenos, fatores de risco ergonômicos e ruído.

O principal risco era a exposição a longas horas de trabalho – ligada a aproximadamente 750.000 mortes.

A exposição no local de trabalho à poluição do ar (partículas, gases e fumos) foi responsável por 450.000 mortes.

“É chocante ver tantas pessoas literalmente sendo mortas por seus empregos”, disse o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da OMS. “Nosso relatório é um alerta para os países e empresas melhorarem e protegerem a saúde e a segurança dos trabalhadores, honrando seus compromissos de fornecer cobertura universal de serviços de saúde e segurança ocupacional.”

Lesões e doenças relacionadas ao trabalho sobrecarregam os sistemas de saúde, reduzem a produtividade e podem ter um impacto catastrófico na renda familiar, alerta o relatório.

Globalmente, as mortes relacionadas ao trabalho por população caíram 14% entre 2000 e 2016. Isso pode refletir melhorias na saúde e segurança no local de trabalho, e também é reflexo da preocupação das empresas e investimentos em segurança do trabalho.

No entanto, as mortes por doenças cardíacas e derrames associados à exposição a longas horas de trabalho aumentaram 41% e 19%, respectivamente.

Isso reflete uma tendência crescente neste fator de risco ocupacional relativamente novo e psicossocial.

Este primeiro relatório de monitoramento global conjunto da OMS/OIT permitirá que os formuladores de políticas acompanhem a perda de saúde relacionada ao trabalho em nível nacional, regional e global. Isso permite um escopo, planejamento, custo, implementação e avaliação mais focados de intervenções apropriadas para melhorar a saúde da população dos trabalhadores e a equidade na saúde.

O relatório mostra que são necessárias mais ações para garantir locais de trabalho mais saudáveis, seguros, resilientes e socialmente mais justos, com um papel central desempenhado pela promoção da saúde no local de trabalho e serviços de saúde ocupacional.

Conheça os cursos do Canal da Segurança do Trabalho, parceiro do Canal da Engenharia:

Fonte:

WHO/ILO: Almost 2 million people die from work-related causes each year. Em:who.int/news/item/16-09-2021-who-ilo-almost-2-million-people-die-from-work-related-causes-each-year. 2021.

Deixe uma resposta