Engenheiros da Suíça desenvolvem querosene de aviação a partir de luz solar

895 0

Os combustíveis com baixa emissão dióxido de carbono (CO2) são cruciais para tornar os transportes aéreos e marítimos sustentáveis.

Nesse sentido, engenheiros do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique, na Suíça, construíram uma planta que pode produzir combustíveis líquidos sustentáveis a partir da luz do sol e do ar.

O próximo objetivo será levar essa tecnologia à escala industrial e ganhar competitividade, já que o processo ainda é caro.

Na pesquisa, publicada no início de novembro na revista Nature (maior revista científica do mundo), é descrito como funciona o novo projeto, que os cientistas chamaram de “querosene solar”.

Funcionamento

A planta desenvolvida em Zurique pode ser usada para produzir combustíveis líquidos sintéticos que liberam tanto CO2 durante a combustão quanto anteriormente extraído do ar para sua produção.

No novo sistema desenvolvido, CO2 do ar e água são extraídos diretamente do ar ambiente e “quebrados” usando energia solar. Este processo produz gás de síntese, uma mistura de hidrogênio e monóxido de carbono, que é então processado em querosene, metanol ou outros hidrocarbonetos.

Querosene de aviação é produzido com ar e Sol - mas custa caro
Esquema da usina de produção do querosene solar. Fonte: ETH Zürich.
Querosene de aviação é produzido com ar e Sol - mas custa caro
Protótipo da usina: equipamento para concentrar radiação solar e utilizá-la como fonte de calor para o processo. Fonte: ETH Zürich.

O professor Aldo Steinfeld, líder do projeto, disse que “A planta demonstra com sucesso a viabilidade técnica de todo o processo termoquímico para converter a luz solar e o ar ambiente em combustíveis drop-in. O sistema opera de forma estável em condições solares reais e fornece uma plataforma única para pesquisa e desenvolvimento adicionais”.

A tecnologia agora está suficientemente madura para uso em aplicações industriais.

O deserto oferece condições ideais

A análise de todo o processo mostra que o combustível custaria de 1,20 a 2 Euros por litro se fosse produzido à escala industrial.

Regiões desérticas com altos recursos solares são particularmente adequadas como locais de produção, não só pelas longas horas de sol, mas também pela escassez de terras agrícolas e impossibilidade de produzir biocombustíveis.

No entanto, dados os altos custos de investimento inicial, os combustíveis solares precisarão de apoio político para garantir sua entrada no mercado.

Fontes:

Making aircraft fuel from sunlight and air. ScienceDaily. 4 de novembro, 2021.

Remo Schäppi, David Rutz, Fabian Dähler, Alexander Muroyama, Philipp Haueter, Johan Lilliestam, Anthony Patt, Philipp Furler, Aldo Steinfeld. Drop-in Fuels from Sunlight and Air. Nature. 2021.

Deixe uma resposta